Pais ou País

Querido Diário,

Hoje é Dia dos Pais e eu gostaria de fazer um grande desabafo.

Nosso país tem mais de 10 milhões de crianças matriculadas nas escolas, que não tem o nome dos pais cadastrados.

Nosso país aplaude um Presidente da República que se casou 3 vezes e sua última esposa tem idade para ser sua filha. Idem o ex-presidente e ex-detento que estava sendo aguardado pela noiva, cuja diferença etária é a mesma que a da atual primeira-dama com seu marido.

Conheço pais com mais de 70 anos, que dizem para suas filhas de 40, que esta idade estaria passada se arranjassem uma nova namorada.

Ora, uma sociedade que sofre de carência paterna tende a compensá-la numa relação de um companheiro muito mais velho, porque haverá sempre o vazio da presença masculina no seio familiar. Tudo isso só reforça o machismo e o constante poder do patriarcalismo brasileiro. Aqui, a ignorância é velada pelos mais viris argumentos da masculinidade.

Fato político, que deve ser dito e novamente tocarei nesta ferida é a descriminalização do aborto. Numa bancada com mais de 80% da opinião masculina, a política brasileira é abraçada pelo esteriótipo cristão e falso moralista, onde os homens decidem, até hoje, o que fazer com o corpo das mulheres. Se esses pais não assumirão a gestação dessas futuras mães e das dores do corpo, as consequências ou sequelas e, mas principalmente a conta, qual o problema de terem a lei a favor delas?

Mas Tatiana, as mulheres podem prevenir, elas tem a Lei Maria da Penha, as vantagens da Licença à Maternidade e os salários, atualmente são igualitários para ambos os sexos!

Eu responderia à vocês: ninguém se previne de um estupro ou um coito concebido por consequência da desinformação, imaturidade, apologia ao sexo e bombardeios midiáticos da cultura pornográfica.

Nós, mulheres não conseguimos vantagens, nós lutamos por direitos, não porque merecemos, mas por justiça humana. Porque temos ovários, óvulos, porque sangramos todos os meses, porque parimos, amamentamos e tentamos cicatrizar nossas virilhas no prazo para que nosso útero volte ao seu devido lugar ou não.

Parabéns aos pais de verdade, aos pais que deram prioridade às mães de seus filhos e à sua família. Aos pais que são homens de verdade e não indivíduos enrustidos atrás de paletós e leis que os empoderam de sua falsa masculinidade. Aos pais que aprendem a ser homens constituindo sua família baseada em valores humanos, éticos e filosóficos. Aos pais que ensinam seus filhos a serem futuros pais de verdade e à não idolatrarem falsos mitos, ou heróis virtuais ou figuras religiosas. Parabéns aos pais que vivem a realidade como ela é e como ela deve ser vivida. Na verdade e sempre!

Ilustra o texto obra da artista paulista Amélia Toledo (1926-2017), que fundamentou sua pesquisa na organicidade das formas da natureza e produziu uma série de pinturas coloridas sobre juta. Essas pinturas são sobreposições de tinta da mesma cor que remetem pétalas de flores. A cor vermelha, a cor do sangue, a cor da menstruação, eu dedico aqui neste texto através desta obra, minha mais sincera homenagem aos pais de verdade, aqueles que entendem que para seu filho nascer, uma mãe terá de dedicar muito do seu sangue para lhe conceber a vida! Porque nem tudo são flores.